sábado, 29 de setembro de 2012

Homens Infantis, Famílias Problemáticas




“Os opressores do meu povo são crianças, e mulheres dominam sobre ele; ah, povo meu!  Os que te guiam te enganam, e destroem o caminho das tuas veredas.” Is. 3;12

Hoje, mais do que nunca “questões culturais” têm sido consideradas responsáveis por uma série de implicações na família e com efeito direto sobre a sociedade.  Por exemplo, um estudo realizado pela Universidade de Columbia mostrou que os filhos criados apenas pela mãe achavam-se em melhores condições do que aqueles que tiveram um pai indiferente em casa.  O descaso paterno em relação à família é uma praga que corrói a sociedade como câncer.

Os sociólogos afirmam que a indiferença paterna é fruto da imaturidade dos homens.  Milhões de crianças que estão crescendo sem o cuidado dos pais se tornarão um problema no futuro.  Quando um homem se comporta como criança, a primeira coisa que faz é forçar a esposa a agir como se fosse sua mãe.  A infantilidade do homem começa a criar problemas seríssimos de relacionamento íntimo dele para com a esposa, normalmente ele se põe a culpar a mulher, acusando-a de frigidez, ou dizendo que ela não o compreende.  Porém a verdade é que ela o entende bem demais.  A maior evidencia hoje que aponta para essa postura, ou seja, para indicar uma “postura infantil” num homem é a compulsão pela pornografia.
O homem infantil é, na verdade um homem imaturo.  A maturidade não vem à medida que envelhecemos, mas sim, quando passamos a aceitar a responsabilidade por nossos atos.  Ser capaz de superar os erros é um indicativo de maturidade; mas viver no erro, ou conviver com ele, é uma estupidez e criancice.
Hoje, com a Internet, o envolvimento de homens imaturos com a pornografia tem se agravado ainda mais.  O conteúdo erótico veiculado na rede é hoje tão comum, que já está se tornando um estilo de vida.  Os valores da geração passada foram derrubados por uma mentalidade e uma conduta típicas de uma cultura que trata a perversão e a pornografia como aceitáveis.  Então é possível entender como que a sociedade aceita passivamente propagandas do tipo da vovozinha que estimula a neta a uma vida promíscua.  Uma senhora com aquela idade deveria estar levantando a bandeira da ética, moral, bons costumes, mas, infelizmente já está corroída e carcomida pelo pecado a tal ponto de não somente praticá-lo, mas também propagandeá-lo como algo de somenos importância.  Também é possível entender como advogados, magistrados, estadistas – que deveriam acima de tudo defender a sociedade em justiça, já começam defender comportamentos claramente condenáveis pelo Senhor, aliás, comportamentos tais que esfacelam cada dia mais a família e por conseqüência, a sociedade.
Provérbios 14:14 afirma: “O infiel de coração dos seus próprios caminhos se farta”.  O fato de estes indivíduos religiosos participarem de maneira indiferente do que realmente significa uma vida cristã…realmente amar a Cristo, o Ungido de Deus, Aquele que nos comprou por altíssimo preço…então Deus permite que eles encontrem alegria e satisfação fora da comunhão com o Senhor.  (Romanos 1).
Os cidadãos de hoje, imersos num sistema cultural que tem trocado o caráter pelo que é material e passageiro, estão semeando vento e vão colher tempestade.  Ao votarem para os mais elevados cargos administrativos, escolhem candidatos que não tem compromisso com a honestidade, a justiça e nem com os valores morais e éticos; homens pobres de caráter.  Lembram-se da assustadora votação que o Clodovil obteve ?
O mundo está sendo preparado para aceitar o anticristo, e essa realidade é geral.
Se em algum momento houve necessidade de homens se agarrarem ao que a Palavra de Deus diz e se posicionarem ao lado de Cristo, esse momento é agora
O exemplo dos três rapazes hebreus nos ensina que nosso compromisso com Deus sobressai, quando nos levantamos em meio a uma multidão que se prostrou ao mundo.
A hora da decisão se aproxima !
Você vai se prostrar ?

Retiro 2013


segunda-feira, 24 de setembro de 2012

10 coisas que você pode fazer para ganhar mais tempo no seu dia


Qualquer coisa que você puder fazer para melhorar sua organização fará diferença para a melhoria da sua produtividade, melhor gerenciamento do seu tempo e também para a proteção do seu bolso.
Hábitos básicos como utilizar a agenda de forma plena, usar um sistema de arquivos com classificação adequada, trabalhar num espaço organizado, ter o costume de planejar o trabalho e as tarefas ou ainda utilizar os recursos da tecnologia de forma eficiente podem fazer toda a diferença do mundo, para o seu tempo render mais.
Às vezes escuto as pessoas dizendo “preciso me organizar melhor. Quando tiver um tempo, vou fazer isso”. Posso garantir uma coisa: este tempo nunca vai aparecer nem sobrar na sua programação. Ele precisa ser criado por você e isso depende apenas de uma atitude sua.
1. Acorde mais cedo
Coloque o alarme para 15 minutos mais cedo e adiante o seu dia.
2. Planeje o que vai vestir na noite anterior
Deixe a roupa separada e pronta para vestir. Você irá economizar bons minutos do seu dia.
3. Mantenha sua mesa de trabalho organizada
Saber onde estão seus papéis e documentos, e saber onde guardá-los vai economizar bastante tempo ao longo do seu dia. Deixar a mesa limpa e mantendo sobre ela apenas aquilo em que está trabalhando no momento vai ajudar você a manter o foco e terminar as tarefas mais rápido.
4. Mantenha seu computador organizado
Desktop limpo e com poucos ícones, pastas organizadas e arquivos nomeados corretamente ajudam bastante na hora de encontrar o que você precisa, economizando muito tempo ao longo do dia. Organizar as suas pastas de e-mails e manter a caixa de entrada sempre vazia é também fundamental para melhorar a sua produtividade no trabalho.
5. Utilize sua agenda e crie listas de memória
Não tente lembrar as coisas de cabeça. Isso vai aumentar o seu estresse e o risco de você esquecer coisas importantes, que podem gastar inutilmente o seu tempo.
6. Cozinhe o suficiente para 2 refeições
Quando for cozinhar e preparar seus alimentos, procure fazer uma porção maior, depois divida em dois e congele se necessário, economizando assim o tempo na próxima refeição.
7. Concentre suas chamadas telefônicas
Faça uma lista das ligações que tem que fazer, anotando os números de telefone e assuntos. Depois separe um tempo e faça todas as ligações em sequência. Isso economiza tempo e deixa seu dia mais organizado.
8. Planeje seu dia de trabalho
Ao final de cada dia planeje o dia seguinte. Realoque compromissos e tarefas na sua agenda e tenha claro o que irá fazer. Isso faz com que você vá para casa com a cabeça mais tranquila, economiza tempo e melhora sua produtividade. Lembre-se: uma hora de planejamento pode economizar até 10 horas de trabalho.
9. Aprenda a utilizar os recursos do seu smartphone
Utilizar a agenda (calendário), o bloco de anotações, o GPS e tantos outros aplicativos de produtividade pode fazer uma incrível diferença na hora de administrar suas tarefas e atividades, dando a você mais controle sobre o uso do seu tempo.
10. Faça as compras pela Internet
Depois de aprender a se organizar para isso e criar este hábito, esta tarefa será rápida e vai economizar muitas horas na sua semana.
JÁ ESTÁ DISPONÍVEL O ESTUDO PARA CÉLULA DESSA SEMANA É SO ABRIR O LINK ACIMA ESTUDO PARA CÉLULA

quinta-feira, 20 de setembro de 2012

Transformando a Maldição em Benção



“Dos gaditas se passaram para Davi, ao lugar forte no deserto, homens valentes adestrados para a guerra, que sabiam manejar escudo e lança; seus rostos eram como rostos de leões, e eles eram tão ligeiros como corças sobre os montes. Ezer era o chefe, Obadias o segundo, Eliabe o terceiro, Mismana o quarto, Jeremias o quinto, Atai o sexto, Eliel o sétimo, Joanã o oitavo, Elzabade o nono, Jeremias o décimo, Macbanai o undécimo. Estes, dos filhos de Gade, foram os chefes do exército; o menor valia por cem, e o maior por mil” (I Cr 12:8-14).

Introdução: Gade nasce debaixo do discurso da maldição que visita até cinco gerações – a idolatria.

1ª Maldição
Gade foi o sétimo filho de Jacó. “Zilpa, serva de Lia, deu a Jacó um filho. Disse Lia: Afortunada! E lhe chamou Gade” ( Gênesis 30: 10-11). A princípio, pela idolatria de Zilpa, o filho da serva de Lia recebia um nome em louvor a deusa cananita para a prosperidade (“a deusa da fortuna” - Is. 65:11) . Gades, assim, quer dizer: boa fortuna (bem afortunado), e gadita quer dizer próspero aquele que tem o dom da fortuna. Esse filho de número 7 de Jacó, teve também 7 filhos (Gn.46:16), que governaram 7 clãs.

2ª Maldição
Jacó ainda pronunciou outra maldição, de que ele seria perseguido por tropas de guerrilheiros, mas também disse, que por fim ele os perseguiria (Gn.49:19).

O 1°Antídoto profético
Essa maldição foi cancelada na bênção de Moisés: “E de Gade disse: Bendito aquele que faz dilatar a Gade; habita como a leoa, e despedaça o braço e alto da cabeça. E se proveu da primeira parte, porquanto ali estava escondida a porção do legislador; pelo que veio com os chefes do povo, executou a justiça do Senhor e os seus juízos para com Israel” (Dt. 33:20-21).
A tribo que descende de Gade toma posse de um território e ele é dividido em 7 clãs, pois cada um de seus filhos se tornou príncipe de um território (Nm. 26:15-18). Tinha no comando de sua tribo Eliasafe, comandante e representante.
Apesar de ter suprido espias para Canaã, declinou à herança recebendo juntamente com Rubem e a meia tribo de Manasses, o território da Cisjordânia. Ali, conquistaram cidades e as reedificaram (Nm.32:34-38).

3ª Maldição
Vemos no capítulo 22:1-8 do livro de Josué, que o propósito do coração de Gade, Rubem e Manassés era o de ajudar aos seus irmãos. Mas, quando lemos do versículo 9 ao 34, vemos que um incidente trouxe feridas de acusações de infidelidade e divisão entre eles.
Uma atitude mal interpretada pode trazer o desconforto de uma divisão, respaldadas por textos, onde as experiências bíblicas tornam-se argumento de acusação.
Apesar de Finéias, filho do sacerdote ter assegurado que o Senhor estava com eles, que o seu altar era um modelo de fidelidade e não de divisão, essas tribos ficariam distante dos assuntos de Israel e Judá, tornando-se até mesmo em território de refúgio nos dias que Saul perseguia a Davi (I Sm.13:7).
Nesse tempo, gaditas e outros se somaram ao fugitivo Davi e lhe deram suporte até que ele se tornasse o primeiro rei e líder da única dinastia que governou sobre as 12 tribos e com 12 príncipes (I Cr. 12:1,8-15, 37,38).

O 2°Antídoto profético
Quando chegamos à altura do texto do primeiro livro de Crônicas, percebemos o que a unção gadita fez com seu povo e com o fugitivo Davi:
● Gades se uniu a Davi quando ele era um fugitivo na terra, e ficou com ele até que se tornasse no rei mais importante e poderoso de seus dias;
● Gades deu refúgio a Davi e aos seus também perseguidos “candidatos” a valentes;
● Gades se uniu a Davi no deserto, e transformou com sua fidelidade e bravura, a caverna da vergonha e da dívida, na “fortaleza do deserto” .
● Os bravos de Gades estavam dispostos a darem suas vidas , por amor a Davi (a água do poço da entrada de Belém);
● Os gaditas tornaram-se administradores de todos os negócios do rei e da casa do Senhor: I Cr.26:32 “Seus irmãos, homens valentes, dois mil e setecentos, chefes das famílias; e o rei Davi os constituiu sobre os rubenitas, os gaditas e a meia tribo dos manassitas, para todos os negócios de Deus e para todos os negócios do rei”. Uma unção de empresariado empreendedor, que é um referencial para os negócios de Deus e os negócios temporais.

Vemos que, ainda que Gades tenha recebido o seu nome por uma motivação equivocada de sua mãe, a serva da esposa não desejada, Deus converte a vergonha em dupla honra, a proposta do caos na realidade profética redentiva.
● A unção do Gadita é a unção para a conquista e restauração de territórios. Territórios amaldiçoados pela idolatria tornar-se-ão o epicentro de avivamentos!
● A unção do Gadita vem com o escudo da fé e a ponta de lança profética, que fará conquistar primeiro.
● A unção do Gadita lhe dá rosto de leão no momento da peleja.
● A unção do Gadita lhe dá pés de corça no momento do livramento. Em En-Gedi, Davi recebeu essa unção quando era perseguido pelos exércitos de Saul, e saltou sobre as pedras e aquele lugar passou a se chamar “rocha de livramento” .
● A unção do Gadita que maximiza a conquista faz com que o menor tenha o valor de 100 valentes e o maior valha por mil. Conquistadores de centenas e de milhares! “O menor virá a ser mil, e o mínimo uma nação forte” (Is 60:22).
● A unção do Gadita é uma unção administrativa e de prosperidade.
● A unção do Gadita adestra e equipa um verdadeiro exército de valentes.

Conclusão: Oficialmente não consegui provar uma ligação entre o povo de Gadara e os Gaditas, a não ser que este fora um território ocupado pela tribo de Gades (Josué 13:24-28). Era agora, uma das cidades da grande Decápolis a 10km a sudeste do mar da Galiléia.
Bem, desse pequeno distrito surgiria uma figura pouco observada no que diz respeito, a maldição que é convertida em bênção. Conhecido como “ O endemoniado de Gadara ”, ou ainda “endemoniados gadarenos” como afirma Mateus 8:28 . Dando a entender que era um mal coletivo e não particular. Jesus liberta aquele homem de cadeias e algemas que os demônios nunca o permitiram se ver livre. E depois, resiste ao seu apelo para que o seguisse e manda que ele volte a sua casa e parentela, e lhes ministrasse a experiência que havia recebido (Mt.8:28; Mc.5:1; Lc.8:26).

Vejo aqui a Unção do Gadita sendo liberada por Jesus
Assim como Davi foi um instrumento para que os Gaditas finalmente tomassem parte da herança em Canaã e de seu reino, Jesus quer que você e eu sejamos hoje livres de toda cadeia e algema de maldição. Ele nos diz: Vocês são prósperos! Não porque Mamom diz, mas porque eu disse!
E mais do que isso, quer que nossa casa passe por toda essa experiência!
Hoje, Deus precipitará no abismo do mar, toda imundícia (porcos em Israel eram sinal de maldição) que nos separa de nossa herança.
A unção do gadita será liberada sobre você, convertendo toda fortaleza de dívida e perseguição, em uma fortaleza intransponível.
Com os gaditas, Davi conquistaria a fortaleza dos Jebuseus, edificaria um altar na antiga eira de Araúna, e selaria, assim, a sua prosperidade (II Sm 24:10-25). Ali, depois de advertido por um profeta Gadita, Davi converte a maldição em bênção, não permitindo que a avareza lhe impedisse de pagar um alto preço, por sua oferta no altar do Senhor.
A unção do Gadita arrancará de nosso coração todo sentimento de autocomiseração, de necessidade, todo espírito de ‘vitimíssimo' e nos dirá que somos prósperos. Por isso, ofereceremos do fruto da nossa prosperidade e conquista ao Senhor.

quinta-feira, 13 de setembro de 2012

OS TEUDAS DE HOJE







"Porque, antes destes dias, se levantou Teudas, insinuando ser ele alguma cousa, ao qual se agregaram cerca de quatrocentos homens; mas ele foi morto, e todos quantos lhe prestavam obediência se dispersaram e deram em nada”.
Livro dos Atos dos Apóstolos 5:36

Houve, há muito tempo atrás, um homem chamado Teudas. Não sabemos muito a seu respeito, a não ser aquilo que podemos encontrar nas palavras de Gamaliel, registradas por Lucas em seu segundo livro a Teófilo. Ao que tudo indica, Teudas foi um líder religioso como muitos que encontramos em nossos dias. Eles estão em nossas próprias Igrejas e, não raro, à frente delas. São carismáticos e comunicadores, conseguem mobilizar as pessoas e fazem com que elas sinceramente creiam neles. 

É exatamente aí que reside o problema. Será que devemos crer em pessoas ou em idéias e valores? Claro que a primeira questão que se levanta é o fato de que nós cremos em Cristo, mas a nossa fé em Cristo se materializa na vivência de Seus ensinamentos e não culto à Sua imagem. Lembrem-se do que Jesus disse: “se alguém Me ama, guardará a Minha palavra” (Jo. 14.23). Muitas imagens de Cristo são adoradas por pessoas que ignoram ou contrariam deliberadamente o Seu ensino. 

Há comunidades, instituições e movimentos que se baseiam em homens e não em valores, princípios ou verdades. Caem ou morrem estes homens, caem e morrem estas organizações. São o resultado do trabalho de pessoas que se pregam a si mesmas; que “insinuam ser alguma coisa” e não são; que desejam que os homens se agreguem a eles, que sejam fiéis a eles e não àquilo que eles fazem, vivem e ensinam. 
Esse tipo de personalismo é muito comum em nossos dias. Dizem que “cada Igreja tem a cara do seu pastor”, será que deve ter? Acredito que a Igreja deve ter seus contornos definidos pelos valores que defende, pelas verdades que prega, pelos princípios que norteiam sua conduta sobre a Terra, e tudo isso deve ser retirado das Escrituras, sob a direção do Espírito, e não da mente brilhante e criativa de algum “teudas”.
É mais uma vez Gamaliel que nos lembra qual é o fim daqueles que constroem impérios sobre a frágil estrutura de um homem, eles dão em nada. Pessoas se “convertem a” seguidores deles, mas não se “convertem em” pessoas melhores, mais justas e amorosas. 

De fato como Jesus foi diferente de Teudas. Ele não pregou a Si mesmo, mas anunciou a chegada do Reino de Deus; Ele não nos convidou a conhecer o Seu poder de influência e a Sua riqueza, mas nos mostrou as Suas chagas, feitas por amor; Ele não nos prometeu fortuna se O seguíssemos, mas uma cruz diária. E, mesmo assim, milhares e milhares de pessoas continuam o seguindo em nossos dias, isso porque crêem em Suas palavras e seguem Seus passos e a Sua voz.
Não é pra menos que quase ninguém sabe quem foi Teudas.

sábado, 8 de setembro de 2012

Onde uma Pérola é Gerada


Ap. Renê Terra Nova
“Quem mediu na concha da sua mão as águas, e tomou a medida dos céus aos palmos, e recolheu numa medida o pó da terra e pesou os montes com peso e os outeiros em balanças?” (Isaías 40:12)

Assim como é impossível o filho ser gerado fora do útero, é impossível uma pérola ser gerada fora de uma concha. Em Isaías 40:12, está escrito que as mãos de Deus são duas grandes conchas para gerar pérolas. Essas grandes conchas entram em um grande oceano onde as pérolas são geradas.

O Templo do MIR é uma grande concha, uma grande ostra. E você é uma grande pérola que está sendo formada aqui dentro. Você é uma pérola! A generosidade do Pai tem alcançado e moldado sua vida. 

Cada um de nós foi formado nas conchas das mãos de Deus, somos filhos legítimos que fazemos parte de uma multidão de filhos legítimos. Sabemos que pai é pai, e mãe é mãe. Não há nenhuma dificuldade para um pai internalizar sua paternidade, porque quando é pai ele quer que o filho faça parte da sua essência. Todo filho é um pedaço da vida do pai, uma extensão que se move, caminha, celebra... Já a mãe não precisa fazer esforço para dizer que é mãe. Ela é mãe na sua essência e na sua naturalidade. Durante nove meses, ela toma todos os cuidados adequados para que a vida que está guardada em seu útero tenha um nascimento saudável e uma vida melhor que a dela.

Todo pai e toda mãe querem mostrar o filho. Filho faz parte de uma essência, de um todo. Pai e mãe não têm crise em relação aos filhos. Mas, algumas vezes, filhos têm crises em relação aos pais. Isso normalmente ocorre porque os pais têm a reação natural de proteger o filho, como um bom leão e uma boa leoa. Agem na naturalidade, apesar de nem sempre os filhos compreenderem o porquê de algumas reações dos pais.

No mundo de hoje, é comum ver adolescentes e jovens passando por crises com os pais. É bem verdade que isso também ocorre porque em algumas famílias os pais adotaram a televisão e outras ferramentas para substituir a paternidade. Houve uma inversão de valores dentro de casa, o que gera crises desnecessárias.

Muitos pais tentam substituir a ausência com presentes, bom supermercado, brinquedos caros, etc. Isso faz com que os filhos cresçam carentes e façam leituras erradas em relação aos fatores externos.

Pela falta dos pais, entram as amizades erradas, adquiridas na rua, no colégio, na faculdade, nos lugares mais variados. Tais relacionamentos podem trazer várias perversões no entendimento do que é ser filho e do que é a paternidade em si. Filhos criados sem assistência dos pais não conseguem compreender o que é ser filho legítimo, por exemplo, a menos que nasçam de novo.

Há filhos que são tão feridos com os pais que sentem vergonha de ser filhos de quem são, alguns chegam mesmo a negar a paternidade e a maternidade, arrumam substitutos.

A Bíblia diz que há uma filiação que entra no nível da carne ou do Espírito (Romanos 8:12-16). Ou é carne ou é espírito. Se há opção da carne, entra a morte. Se há opção do espírito, entra a vida. Há dois níveis de salário para um trabalho. As pessoas que vivem na obra da carne, trabalham na obra da carne. A Bíblia diz que o salário do pecado é a morte, então se eles vivem na obra da carne e vivem por um salário, seu nome é morte. 

A Bíblia diz em Gálatas 6:7-9 que aquilo que plantarmos, colheremos. Quem planta na carne, colhe morte. Quem planta no espírito, colhe vida. 

Então, a lei da semeadura, a lei do plantar e colher, sempre frutificará. Se o plantio for na obra da carne, a colheita será de morte, itens diferenciados de morte. Se o plantio for no espírito, a colheita será de vida, índice e níveis diferenciados de vida.

Essa morte que aparece na Bíblia não está falando de necrós, é a morte sarkós, ou seja, alguém que perdeu a bênção da vida, alguém que não consegue ver e, por isso, está debaixo desse decreto maligno, que é o sarcófago. A própria pessoa cava a sepultura. 
A colheita no espírito é de vida de Deus, uma vida plena da autoridade divina. A pessoa ganha velocidade nos passos, nas palavras, no território onde passa; essa é a vida eterna. 

Quando aceitamos Jesus, não podemos mais perder tempo. Deus está abrindo o entendimento do Seu povo para que haja compreensão completa de que somos pérolas preciosas no Reino, somos filhos legítimos do Pai.

Quando um filho legítimo não entra em crise?

Um filho legítimo não entra em crise quando separa o que ouve. Não há outra regra e princípio a não ser separar o que ouve. O texto de Tito 2:8 diz que o diabo só encontra oportunidade por aquilo que falamos e ouvimos. É onde o diabo ganha vantagens na vida de algumas pessoas.

Há pessoas que se apressam em levar uma notícia que nem sabem se é ou não verdade. Isso é um perigo, porque, além de denegrir a imagem dos outros, atraem maldição. Levam adiante uma história que nem sabem se é ou não verdade. 

O Evangelho é a Boa Notícia do Reino, portanto, quem nasce nesse Evangelho deve levar as Boas Notícias e não as más notícias. O Salmo 112:6 diz que o justo não teme as más notícias, porque ele está escrito em memória eterna diante do Senhor Todo Poderoso. 

Precisamos saber que há legitimidade e, como filhos legítimos, não podemos estar denunciando, denegrindo, maculando a identidade do irmão. Independente de ser mais velho ou mais novo na comunidade, não temos esse direito. São tantas coisas terríveis que ocorrem em nossas vidas por falácias e o homem tem uma tendência natural de acreditar mais em mentiras do que em verdades. 

Quantas mentiras foram lançadas sobre você e você acreditou, mas uma palavra de vida foi uma dificuldade para entrar. Deus vai deletar toda palavra de morte que entrou em sua alma para plantar a sede das boas notícias dEle dentro de você. Você será formado um filho legítimo que tem assinado a bênção para a vida e não a maldição para a morte. 

Este é um novo tempo no qual devemos fazer uma nova assinatura sobre nossas vidas. Deus julgará com retidão, porque você nasceu par vencer. Não receba outros decretos sobre você. Você é filho legítimo, uma pérola formada nas conchas das mãos de Deus.

Fonte: www.mir12.com.br

domingo, 2 de setembro de 2012

CULTO DA HONRA


Gênesis 14:18-19
 “E Melquisedeque, rei de Salém,  trouxe pão e vinho;  e este era sacerdote do Deus Altíssimo”.
“E abençoou-o e disse: Bendito seja Abraão do Deus Altíssimo, o Possuidor dos céus e da terra”;


Todo primeiro Domingo de cada mês comemoramos o CULTO DA HONRA. Nessa linda reunião celebramos a Deus pela oportunidade de sermos dizimistas da sua casa. Quando somos dizimistas dedicamos a nossa vida ao Reino de Deus, a nossa contribuição mensal soa como uma aliança com o Eterno de mantermos da melhor forma possível o seu Reino entre nós, não que necessariamente Deus precise de dinheiro, não, Deus não precisa de dinheiro, mas o Ato de trazer os dízimos a sua casa, nos permite sem palavras provar o seu senhorio sobre as nossas vidas. Hoje é uma dia muito especial pois toda congregação se reuni de forma solene e profética, onde no momento partimos o pão, representado o ato gracioso de Deus em nos conceder o fruto da terra para nossa sobrevivência, pois entendemos que o Deus de toda riqueza tem suprido todas as nossas necessidades, neste ato o pão é partido entre todos os dizimistas que matem o compromisso de serem financiadores do Reino de Deus aqui na terra. Por intermédio dos discípulos de Cristo é anunciado o o estabelecimento do Reino de Deus. Em um segundo Ato bebemos o vinho, o fruto da vide, declarando ao Eterno a gratidão por sua benevolência para com as nossas geração. Essa reunião é um ATO PROFÉTICO, liberando sobre as vidas dos dizimistas a unção da prosperidade, como garantida na Palavra de Deus. O Senhor Deus quando falava por intermédio do profeta Malaquias, dizia que ao trazer os dízimos a casa do tesouro, para que houvesse manutenção em sua casa, a pessoa teria os céus abertos sobre sua plantação, representando que Ele mandaria do céus o benefício; prometeu repreender o devorador, que eram as pragas que consumiam as lavouras, hoje representa que os desperdícios, que as perdas de bens de modo geral não alcançaram os que são fiéis a Ele; salvo quando o próprio Deus tem uma propósito em que uma determinada situação gere perdas para que a pessoas receba benefícios ainda maiores.